11 dezembro 2017

FUNÇÕES E SIGNIFICADOS DA ISO 14000

Significado de ISO 14000


ISO 14000 é constituído por uma série de normas que determinam diretrizes  para garantir que determinada empresa (pública ou privada) pratique a gestão ambiental. Estas normas são conhecidas pelo Sistema de Gestão Ambiental (SGA), que é definido pela ISO (International Organization for Standardization).


FUNÇÕES E SIGNIFICADOS DA ISO 14000
FUNÇÕES E SIGNIFICADOS DA ISO 14000



O principal objetivo da ISO 14000 e de suas normas é garantir o equilíbrio e proteção ambiental, prevenindo a poluição e os potenciais problemas que esta poderia trazer para a sociedade e economia.
Para que uma empresa garanta o seu Certificado ISO 14000, ela deve se comprometer com as leis previstas na legislação ambiental de seu país. Este certificado simboliza que determinada empresa tem preocupação com a natureza e possui responsabilidades com o meio ambiente. Atualmente, este tipo de perfil empresarial colabora para a valorização dos produtos ou serviços da companhia e da marca.
Além de se comprometer em cumprir a legislação ambiental do país que pertence, a empresa deverá treinar seus funcionários para seguirem todas essas normas, identificando e procurando soluções para todos os prováveis problemas que a empresa possa estar causando para o meio ambiente, diminuindo assim o seu impacto ambiental.
Existe uma versão brasileira do conjunto de normas da ISO 14000, conhecida por ABNT NBR ISO 14000.

Normas da ISO 14000

O conjunto ISO 14000 é formado pelas seguintes normas:
  • ISO 14001: trata do Sistema de Gestão Ambiental (SGA).
  • ISO 14004: trata do Sistema de Gestão Ambiental, sendo destinada ao uso interno da Empresa.
  • ISO 14010: são normas sobre as Auditorias Ambientais. São elas que asseguram credibilidade a todo processo de certificação ambiental.
  • ISO 14031: são normas sobre Desempenho Ambiental.
  • ISO 14020: são normas sobre Rotulagem Ambiental.
  • ISO 14040: são normas sobre a Análise do Ciclo de Vida.
Veja também os significados de ISO e ISO 9001.
Fonte:significados.com

26 novembro 2017

O SENADO ADIOU EM 2015 O FIM DOS ATERROS CONTROLADOS E LIXÕES ATÉ 2018 E 2021 DEPENDENDO DO Nº DE HABITANTES DO MUNICÍPIO

Política de Resíduos Sólidos determinava a extinção até agosto de 2014. Emenda estabeleceu prazos entre 2018 e 2021, de acordo com município


Senado aprovou nesta quarta-feira (1º) 01/07/2015 projeto que prorroga o prazo para as cidades brasileiras adequarem a gestão que fazem do lixo às regras da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS). Na prática, a matéria estende o limite da data para a extinção dos lixões nas municípios. Com a aprovação, a matéria segue agora para análise da Câmara dos Deputados.
O SENADO ADIOU EM 2015 O FIM DOS ATERROS CONTROLADOS E LIXÕES ATÉ 2018 E 2021 DEPENDENDO DO Nº DE HABITANTES DO MUNICÍPIO
O SENADO ADIOU EM 2015 O FIM DOS ATERROS CONTROLADOS E LIXÕES ATÉ 2018 E 2021 DEPENDENDO DO Nº DE HABITANTES DO MUNICÍPIO 
Sancionada em 2 de agosto de 2010, a PNRS determina ações como a extinção dos lixões do país e substituição por aterros sanitários, além da implantação da reciclagem, reuso, compostagem, tratamento do lixo e coleta seletiva nos municípios. A lei dava prazo de quatro anos para que as cidades se adequassem à PNR, ou seja, deveriam estar em prática já em 2014.

O projeto inicial que foi levado ao plenário nesta quarta-feira previa a prorrogação do prazo para a extinção dos lixões em dois anos. No entanto, uma emenda de plenário apresentada pelo senador Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE) estabeleceu prazos escalonados de acordo com o município.

(CorreçãoInicialmente esta reportagem informava que o prazo para a aplicação da Política Nacional de Resíduos Sólidos, segundo o projeto, era de 2 anos. No entanto, uma emenda que foi apresentada no plenário estabelecia prazos escalonados de acordo com o município, fazendo com que as datas-limite variem entre 2018 e 2021. A informação foi corrigida 1h24.)

"A emenda que apresento confere prazos diferenciados, de acordo com perfil do ente federativo, conferindo prazos mais longos para municípios com população inferior a 50 mil habitantes e mais curtos para as capitais de Estados e Municípios integrantes de região metropolitana ou de região integrada de desenvolvimento, que possuem maior população e maior capacidade orçamentária financeira, para a implementação das exigências legais", explicou o senador

As capitais e municípios de região metropolitana terão até 31 de julho de 2018 para acabar com os lixões. Os municípios de fronteira e os que contam com mais de 100 mil habitantes, com base no Censo de 2010, terão um ano a mais para implementar os aterros sanitários. As cidades que têm entre 50 e 100 mil habitantes terão prazo até 31 de julho de 2020. Já o prazo para os municípios com menos de 50 mil habitantes será até 31 de julho de 2021.

A emenda também acrescenta a prorrogação de prazo para elaboração dos planos estaduais de resíduos sólidos e dos planos municipais de gestão integrada de resíduos sólidos.

A senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), relatora do projeto, subiu ao plenário para defender a proposta. "Ocorre que, expirado o prazo, a maior parte dos municípios, por falta de quadros técnicos e gerenciais qualificados e de insuficiência de recursos financeiros, não conseguiu cumprir a determinação legal", justificou no projeto a senadora.
"Diante desse quadro, entendemos que a Lei da PNRS não foi realista ao prever um prazo exíguo para que os municípios assumissem a responsabilidade por esta tarefa complexa", continuou a senadora.
Principais objetivos
A PNRS tem como prioridades a redução do volume de resíduos gerados, a ampliação da reciclagem, aliada a mecanismos de coleta seletiva com inclusão social de catadores e a extinção dos lixões. Além disso, prevê a implantação de aterros sanitários que receberão apenas dejetos, aquilo que, em última instância, não pode ser aproveitado.

Esses aterros, por sua vez, deverão ser forrados com manta impermeável para evitar a contaminação do solo. O chorume, líquido liberado pela decomposição do lixo, deverá ser tratado. O gás metano que resulta da decomposição do lixo, que pode explodir, terá que ser queimado.
Fonte:g1.globo.com

O FIM DOS LIXÕES E ATERROS SANITÁRIOS ESTÁ COM O SEU PRAZO SE ESGOTANDO PELA SEGUNDA VEZ

O Brasil definiu, em lei, que os lixões a céu aberto tinham data para acabar. Esse prazo venceu há um ano(2014). Isso não impediu que mais de 1.500 cidades brasileiras continuassem enviando resíduos para lixões, incluindo a nossa capital federal. Brasília ostenta um título difícil de se orgulhar: o de ter o maior lixão a céu aberto da América, o Lixão da Estrutural, que fica a menos de 15 quilômetros do Congresso, do Palácio do Planalto e do local das tomadas de decisão mais importantes do país. Uma dessas decisões deve atrasar ainda mais o fechamento do lixão. Segundo projeto já aprovado no Senado, o Brasil terá que aturar mais quatro anos de mau cheiro e doenças.
O FIM DOS LIXÕES E ATERROS SANITÁRIOS ESTÁ COM O SEU PRAZO SE ESGOTANDO PELA SEGUNDA VEZ
O FIM DOS LIXÕES E ATERROS SANITÁRIOS ESTÁ COM O SEU PRAZO SE ESGOTANDO PELA SEGUNDA VEZ

 O caminho do lixo
Por que é tão difícil acabar com os lixões? Essa meta, uma das mais incisivas da Política Nacional dos Resíduos Sólidos, vem sendo adiada e adiada constantemente. Em 1981, quando o Brasil aprovou sua primeira política de meio ambiente, já estava definido que lixões são fonte de poluição e, portanto, deveriam ser fechados e substituídos por aterros sanitários e reciclagem. Mais de 15 anos depois, a lei que definia os crimes ambientais tipificou lixão como crime. Mas nada foi feito e ninguém foi responsabilizado. Em 2010, a Política Nacional de Resíduos Sólidos colocou um prazo final: agosto de 2014. "Foram três décadas prorrogando e empurrando com a barriga. Esse novo adiamento, da forma como está sendo feito, será muito prejudicial", diz Carlos Silva Filho, presidente da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza (Abrelpe).
A Abrelpe publicou, nesta semana, um relatório com um panorama da situação dos resíduos sólidos no Brasil. O quadro não é nem um pouco positivo. Os números indicam que o avanço que o Brasil teve para acabar com os lixões foi minúsculo. Em 2010, 42,4% dos resíduos tinham destinação inadequada – iam para lixões ou para aterros controlados (os aterros controlados são um meio termo entre os lixões e os aterros sanitários). Em 2014, essa porcentagem estava em 41,6% – uma melhora de apenas 0,8 ponto percentual. Ou seja, entre a aprovação da lei para acabar com os lixões e o fim do prazo, praticamente nada foi feito.
 Como Igarassu (PE) conseguiu acabar com o lixão
Segundo o panorama da Abrelpe, um total de 1.559 municípios usam lixões a céu aberto – incluindo Brasília, que prometeu inaugurar um aterro sanitário antes de 2014, mas ainda não o fez. São 1.559 municípios despejando lixo em áreas abertas, contaminando o solo, o lençol freático e a água e, consequentemente, colocando em risco a saúde de sua própria população. Se somar os aterros controlados, são mais de 3,3 mil municípios que não descartam seus resíduos de forma adequada (o Brasil tem cerca de 5,5 mil cidades).
Infográfico sobre lixões a céu aberto no Brasil (Foto: Infográfico: Giovana Tarakdjian )
O FIM DOS LIXÕES E ATERROS SANITÁRIOS ESTÁ COM O SEU PRAZO SE ESGOTANDO PELA SEGUNDA VEZ
(Infográfico: Giovana Tarakdjian )
Acontece que a Política Nacional de Resíduos Sólidos prevê responsabilizações para esses municípios. O texto deixa claro que a omissão, por parte dos agentes públicos, pode resultar em sanções administrativas e até sanções penais. Mandatos podem ser cassados, recursos para municípios podem ser bloqueados e prefeitos podem ser forçados a ressarcir os cofres públicos. Isso nunca aconteceu até hoje, mas está previsto em lei. Por isso, os prefeitos passaram a pressionar por mudanças na legislação. Em julho, quando os senadores já se preparavam para o recesso parlamentar, o Senado colocou em votação projetos criados pela Comissão Especial do Pacto Federativo, uma comissão que analisa pautas de interesse das prefeituras. A primeira medida votada e aprovada foi o adiamento do fim dos lixões.
O adiamento ainda precisa passar pela Câmara, mas há poucas dúvidas de que será aprovado. O texto cria prazos escalonados. Capitais e regiões metropolitanas terão até 2018 para acabar com os lixões. Ou seja, o vergonhoso Lixão da Estrutural, em Brasília, terá mais quatro anos para existir. Cidades pequenas ganham mais tempo. As menores cidades do país, de menos de 50 mil habitantes, terão até 2021 para acabar com os lixões.
 É errado exportar lixo para outros países?
Se por um lado é verdade que os municípios não se mexeram para cumprir a lei, por outro também não tinham a mínima chance de cumprir as metas definidas na política. Segundo Ariovaldo Caodaglio, do Sindicato das Empresas de Limpeza Urbana de São Paulo, isso fica evidente até mesmo lendo o texto do projeto aprovado pelo Senado. A justificativa dos senadores é que a meta não foi cumprida por dois motivos: falta de recursos financeiros e falta de capacitação técnica. "Quando os senadores adiam o prazo, eles estão considerando que os problemas que impediram o fim dos lixões até agora serão resolvidos? Teremos recursos e pessoal capacitado, ou será mais um prazo para não cumprir?". O texto aprovado no Senado não menciona qualquer mecanismo para resolver os problemas da falta de recursos e da capacitação.
A Política Nacional de Resíduos Sólidos prevê a possibilidade de mecanismos para a União ajudar municípios a acabar com os lixões. A União financiar aterros, especialmente se as cidades se unirem em consórcios. Mas na prática, isso não acontece. O cenário de crise atual torna essa perspectiva ainda mais improvável. Com orçamento pequeno, os prefeitos, principalmente os das cidades menores, se veem em uma encruzilhada. Para cumprir a lei, eles precisariam tirar dinheiro da Saúde, Educação ou da folha de pagamento. Uma decisão que político nenhum pode se dar ao luxo de tomar.
Parece um problema insolúvel, mas para Dante Ragazzi Pauli, da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental, não é. Ele afirma que para fazer a lei sair do papel é preciso trabalho de base, em cada município, antes de propor obras gigantescas. "Não tem milagre. É preciso começar da base, com capacitação, adequar os quadros da prefeitura, criar programas de assistência técnica. E o município também precisa fazer sua parte".
Seja com obra ou com capacitação, alguma coisa precisa ser feita para enfrentar o problema. Não é aceitável que o Brasil ainda tenha que conviver com os lixões. Isso sem falar no risco que o mero adiamento do prazo pode colocar: ele pode causar um dano imprevisto à estratégia brasileira para a reciclagem. Isso porque o fim dos lixões é pré-requisito para que outras medidas previstas na Política Nacional de Resíduos Sólidos funcionem, como a logística reversa, que determina a responsabilidade das empresas em recuperar os resíduos, ou as metas para a reciclagem. Quanto mais tempo demorarmos para deixar nossas "lixeiras" em ordem, mais difícil será limpar a nossa casa.
Fonte:http://epoca.globo.com

25 novembro 2017

DOS RESÍDUOS URBANOS A CIDADANIA


É indiscutível que, um dos grandes desafios que permeia sociedade pós-moderna é a degradação ambiental, derivada da produção de lixo e resíduos urbanos. O aumento populacional, o crescimento das cidades e o consumismo foram os principais impulsionadores de tais problemas, haja vista a falta politicas públicas que conciliasse o equilíbrio entre o desenvolvimento e o meio ambiente. Logo, fica evidente a importância de se buscar meios que gere atitudes de cidadania, responsabilidade social e uma preocupação de ordem sanitária e ambiental.


DOS RESÍDUOS URBANOS A CIDADANIA
DOS RESÍDUOS URBANOS A CIDADANIA

No que se refere à relação entre responsabilidade social e o lixo urbano, é possível afirmar que no Brasil há uma deficiência em programas e leis que visem amenizar o processo de inadequação no descarte e produção de resíduos, o que acarreta em sérias consequências na vida e de toda coletividade. A conscientização e educação ambiental são duas ferramentas indispensáveis para as mudanças de hábitos da sociedade, porém, para isso faz-se necessário, investimentos públicos e governamentais.

Somando a isso, o acúmulo de lixo e o mau gerenciamento da reciclagem gera contaminação dos solos, águas e rios, aumento de lixões à céu aberto e a escassez de recursos naturais devido sua extração, uma vez que, para se produzir o lixo é preciso retirar do meio ambiente. Tal realidade, mostra a urgência em suprir as necessidades que derivam de problemas como o pequeno efetivo da coleta seletiva, a capacitação, treinamento e valorização dos trabalhadores de cooperativas, a substituição total dos lixões à céu aberto por aterros sanitários, além da falta de instrução da população sobre a maneira adequada da separação dos resíduos sólidos. Dessa forma, há um longo caminho à ser vencido no dia a dia de cada cidadão e autoridades competentes.

Cada cidadão é responsável pela geração diária de lixo e resíduos, desde seu nascimento, à qual se cessará apenas com o fim de sua existência. Sendo assim, para garantir o bem estar coletivo, preservação das futuras gerações e do meio em que vivemos , é imperativo que haja uma interação e ações coletivas entre Estados, municípios, empresas e sociedade. O governo deve instituir leis e políticas que não induzam apenas à redução de resíduos gerados, mas à quantidade (massa), como estimulando empresas à utilizarem embalagens e produtos recicláveis, logo, impulsionando o consumo consciente e sustentável da sociedade que tem o papel fundamental nessa batalha, devendo está bem informado por meio de medidas educativas, para que assim possamos usufruir do melhor que a natureza tem a oferecer.
Fonte:projetoredacao.com

20 novembro 2017

DRENAGEM DE ÁGUA COM ESTILO SUSTENTÁVEL

Sistemas de Drenagem Sustentável


Verão chegando, e com ele a tradicional preocupação com as chuvas e as enchentes. A impermeabilização do solo é a principal causa dos problemas que enfrentamos. A falta de planejamento urbano no passado leva à necessidade de onerosas obras de prevenção de inundações atualmente. As medidas adotadas para a melhoria da drenagem urbana vêm, entretanto, passando por uma evolução notável quanto à sua abrangência, foco e principalmente quanto ao impacto ambiental que causam.
A visão antiga da drenagem urbana tinha como princípios: remover as águas pluviais para jusante executar projetos e obras, como medida estrutural para resolver os problemas e a base de análise era somente econômica. Já a visão moderna busca a compreensão integrada do meio ambiente: social, legal, institucional e tecnológica.
Os fundamentos da drenagem urbana moderna estão basicamente em não transferir os impactos à jusante, evitando a ampliação das cheias naturais, recuperar os corpos hídricos, buscando o reequilibro dos ciclos naturais (hidrológicos, biológicos e ecológicos) e considerar a bacia hidrográfica como unidade espacial de ação.
Nesse contexto, surgem os Sistemas de Drenagem Sustentáveis (SiDS), soluções de drenagem que fornecem uma alternativa para a canalização direta de águas superficiais. Imitando regimes de drenagem natural, SiDS visam reduzir as inundações, melhorar a qualidade da água e aumentar a comodidade e a biodiversidade do meio ambiente. SiDS alcançam isso diminuindo as taxas de fluxo, aumentando a capacidade de armazenamento de água e reduzindo o transporte de poluição ao meio ambiente aquático.

5 PRINCIPAIS MEDIDAS DE DRENAGEM SUSTENTÁVEL





DRENAGEM DE ÁGUA COM ESTILO SUSTENTÁVEL
DRENAGEM DE ÁGUA COM ESTILO SUSTENTÁVEL


Captação de água da chuva: Sistemas de aproveitamento de água de chuva são uma Tecnologia sustentável para captação e aproveitamento da água da chuva a partir da cobertura de qualquer tipo de edificação, como casas, prédios residenciais e comerciais,galpões industriais etc. O sistema consiste em recolher, filtrar, armazenar e disponibilizar esta água para uso em área externa ou interna, de acordo com as recomendações da Norma 15527 da ABTN – Associação Brasileira de Normas Técnicas.A água de chuva só deve ser usada em ambientes urbanos para fins não-potáveis (isto é, não deve ser usada para beber, banho, lavagem e cozimento de alimentos). Entre seus principais usos estão: descarga de vasos sanitários; regas de hortas e jardins; lavagem de pisos, quintais e automóveis. Na área rural também destina-se a irrigação de plantações, lavagem de criatórios de animais e bebedouro, entre outros. Além de diminuir a quantidade de água que recai nos sistemas de drenagens urbanos, a captação contribui para economizar na conta da água, além de servir como reserva em épocas de racionamento.

DRENAGEM DE ÁGUA COM ESTILO SUSTENTÁVEL
DRENAGEM DE ÁGUA COM ESTILO SUSTENTÁVEL


Bacias de detenção e retenção: A bacia de detenção é um tanque com espelho d´água permanente, construído com os objetivos de reduzir o volume das enxurradas, sedimentar cerca de 80% dos sólidos em suspensão e o controle biológico dos nutrientes. Servem a uma única propriedade ou podem ser incorporados ao plano regional de controle das enchentes urbanas. Existe também a bacia de retenção, projetada para armazenar temporariamente o volume das enxurradas e liberá-lo lentamente, a fim de reduzir a descarga de pico à jusante. Como a outra bacia (permanente), dispõe de estruturas hidráulicas de esgotamento.



DRENAGEM DE ÁGUA COM ESTILO SUSTENTÁVEL
DRENAGEM DE ÁGUA COM ESTILO SUSTENTÁVEL

Pisos permeáveis: seu principal objetivo é aumentar a área permeável nos centros urbanos e assim reduzir o impacto das enchentes. São os pisos em terra (areia grossa lavada), cascalho, grama, perfil com materiais drenantes (com geotêxteis, inclusive, para evitar a colmatação), com blocos permeáveis de cerâmica ou concreto e concreto permeável.Pode ser aplicado em substituição a pavimentação em locais de tráfego lento como: arruamento de condomínios, acostamento de estradas, trilhas, acesso de pedestres, bacias de infiltração, além de estacionamentos de empresas, shoppings e supermercados.Muitos são os benefícios ambientais deste sistema. Atua na prevenção das enchentes ao deixar a água das chuvas infiltrar em sua estrutura, diferente do que ocorre nos asfaltos comuns. Também ajuda na redução das ilhas de calor, recarga dos aquíferos subterrâneos, remediação da poluição do pluvial e manutenção das vazões dos cursos d’água nas épocas de seca.


DRENAGEM DE ÁGUA COM ESTILO SUSTENTÁVEL
DRENAGEM DE ÁGUA COM ESTILO SUSTENTÁVEL


Áreas Verdes: São várias as vantagens da arborização urbana: dá sombra, reduz a temperatura do pavimento e das águas das enxurradas, atenua o ruído, filtra o ar, dá frutos (às vezes comestíveis) e embeleza a rua onde está localizada. Mas o principal benefício é, sem dúvida, a retenção de parte das águas da chuva, diminuindo o escorrimento superficial e alimentandoo lençol freático. Além disso, a revitalização dos rios, com o reflorestamento das margens, diminui a erosão e impede o assoreamento do rio, enxurradas e enchentes subsequentes.
Bacias de infiltração: também conhecidas como RainGardens(Jardins de Chuva), são uma depressão no terreno com as finalidades de: reduzir o volume das enxurradas, remover alguns poluentes e promover a recarga da água subterrânea. As plantas, cobertura morta e solo em um jardim da chuva combinam processos naturais físicos, químicos e biológicos para remover poluentes do escoamento, além de valorizar esteticamente a área. É geralmente construído às margens de rodovias, estradas e demais áreas fortemente impermeabilizadas. Os problemas ligados à impermeabilização do solo devido à ocupação humana não param de aumentar e não podem ser resolvidos simplesmente através da construção de grandes obras de drenagem.

DRENAGEM DE ÁGUA COM ESTILO SUSTENTÁVEL
DRENAGEM DE ÁGUA COM ESTILO SUSTENTÁVEL

Desta forma, podemos adotar saídas ecologicamente responsáveis para os problemas que nós mesmos causamos, através da urbanização desenfreada e da ocupação indevida das margens e várzeas dos rios.
 As medidas sustentáveis vistas neste artigo são apenas algumas das diversas estratégias necessárias para solucionar essa grande questão. No Brasil, não existe nenhum programa sistemático de controle de enchentes que envolva seus diferentes aspectos. O que se observam são ações isoladas por parte de algumas cidades. É necessária a mobilização de cidadãos e governo para que se possa reduzir os danos materiais e vítimas gerados pela urbanização sem planejamento.
Fonte: Impermeabilização dos Solos Urbanos – Problemas e Soluções. Freitas, Ítrio T.W.; Mendes, Júlia C.; Miranda, Gabriel S.B.; Mazzucchelli, Paola M.; Garcia, Pedro H. Universidade Federal de Juiz de Fora. Novembro 2011.
Fonte:blogdopetcivil.com

18 novembro 2017

SEJA UM CIDADÃO ATIVO VEJA PARTICIPE DA GESTÃO DO SEU MUNICÍPIO ISTO E CONSEGUIR SUSTENTABILIDADE

Seja um Cidadão ativo participe do legislativo, judiciário executivo de seu município e estado avalie, fiscalize e analise a personalidade de quem está no comando como anda indo as funções que eles estão executando, se eles tem medo de quando você aparece, como eles andam gastando o dinheiro da população e como anda a sua vida em relação por se entrometer na vida deles veja se eles tem carácter de cidadão, são humanos pensam no próximo pensam com sustentabilidade como andam aparecendo em publico e como se comportam se são pessoas inteligentes e simples ou se são lerdos e vivem empanturrados de bens materiais gostam de aparência, pessoas que carregam certas personalidades e caracters roubam a sua vida de quem te criou e do que vem atras de você, eu digo isto e para trazer qualidade de vida para o próximo para minha família e para mim não para virar um deles se o mundo anda um pouco ansioso está doença são eles que estão passando para a população porque eles tiram a nossa qualidade de vida em vez de dar para o povo uma qualidade de vida e equilíbrio entre a sociedade, busque evolução ficar só reclamando é muito fácil e veja o grau de dificuldade que está tendo para está evolução aparecer e o grau do seu esforço em relação a isto é buscar sustentabilidade!!!!


Traga sustentabilidade para você para sua família e para o próximo
ANALISE, FISCALIZE, AVALIE O CARÁTER DOS PODERES EM SEU MUNICÍPIO

14 novembro 2017

OS 5 P'S DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

Você sabe quais são os os 5 "P"s do desenvolvimento sustentável? Confira neste gráfico e saiba mais sobre os objetivos globais em Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento

OS 5 P'S DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL
OS 5 P'S DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL
Os Objetivos de Desenvolvimento SustentávelDos ODM aos ODS
O documento final da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável - Rio+20 dispõe que o desenvolvimento de objetivos e metas, tal qual aplicado em relação aos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, seria útil na busca do desenvolvimento sustentável, por meio de ações focadas e coerentes.
Decidiu-se estabelecer um processo intergovernamental inclusivo e transparente que fosse aberto a todos, com vistas a elaborar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).
Após mais de três anos de discussão, os líderes de governo e de estado aprovaram, por consenso, o documento “Transformando Nosso Mundo: A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável”. A Agenda é um plano de ação para as pessoas, o planeta e a prosperidade. Ela busca fortalecer a paz universal com mais liberdade, e reconhece que a erradicação da pobreza em todas as suas formas e dimensões, incluindo a pobreza extrema, é o maior desafio global ao desenvolvimento sustentável.
A Agenda consiste em uma Declaração, 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e as 169 metas, uma seção sobre meios de implementação e de parcerias globais, e um arcabouço para acompanhamento e revisão.
O conjunto de objetivos e metas demonstram a escala e a ambição desta nova Agenda universal. Os ODS aprovados foram construídos sobre as bases estabelecidas pelos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM), de maneira a completar o trabalho deles e responder a novos desafios. São integrados e indivisíveis, e mesclam, de forma equilibrada, as três dimensões do desenvolvimento sustentável: a econômica, a social e a ambiental.
Aprovados na Cúpula das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável (25-27 de setembro 2015), a implementação dos ODS será um desafio, o que requererá uma parceria global com a participação ativa de todos, incluindo governos, sociedade civil, setor privado, academia, mídia, e Nações Unidas.
Os esforços conjuntos para o alcance dos ODM até o fim de 2015 não se encerrarão nessa data. As ações do PNUD a partir de então estarão alinhadas com os ODS, tendo em mente a necessidade da finalização do trabalho no âmbito dos ODM, visando “não deixar ninguém para trás” no processo de desenvolvimento sustentável.
Estamos determinados, no espírito da Agenda 2030, a tomar medidas ousadas e transformadoras que se necessitam urgentemente para pôr o mundo em um caminho sustentável e resiliente.
Os cinco P´s da Agenda 2030
Do global para o local
Os ODS, embora de natureza global e universalmente aplicáveis, dialogam com as políticas e ações nos âmbitos regional e local.
Na disseminação e no alcance das metas estabelecidas pelos ODS, é preciso promover a atuação dos governantes e gestores locais como protagonistas da conscientização e mobilização em torno dessa agenda.
O PNUD Brasil continuará contribuindo para o desenvolvimento de capacidades em âmbito local - como tem feito com os ODM (ver portalodm.com.br e atlasbrasil.org.br) - visando à implementação e ao monitoramento dos ODS.
Fonte de teto e imagem: .pnud.org.br

12 novembro 2017

OPERAÇÃO QUE DESCOBRIU A FRAUDE NA GESTÃO DOS RESÍDUOS EM PASSOS JÁ BLOQUEOU R$ 9 MILHÕES DAS CONTAS DOS INVESTIGADOS

Mais de R$ 9 mi são bloqueados

PASSOS – Mais de R$ 9 milhões já foram bloqueados nas contas dos empresários e empresas investigadas pela “Operação Purgamentum”, que apura supostas fraudes nos contratos com as empresas que faziam a coleta do lixo e a limpeza urbana do município de Passos durante a gestão passada. O ex-prefeito Ataíde Vilela (PSB), a ex-Secretária de Obras, Habitação e Serviços Urbanos, Sônia Maria de Oliveira e o ex-diretor de Limpeza Urbana, Gleison Santos Martins, juntamente com outros cinco servidores presos temporariamente, continuavam recolhidos no Presídio de Passos.

Mais de R$ 9 mi são bloqueados nas contas dos empresários e empresas investigadas pela “Operação Purgamentum”, que apura supostas fraudes nos contratos com as empresas que faziam a coleta do lixo e a limpeza urbana do município de Passos durante a gestão passada.
OCORRIA FRAUDE NA GESTÃO DOS RESÍDUOS EM PASSOS MG 


Nos últimos dois dias, o promotor Paulo Frank Pinto Júnior, da 7ª Promotoria de Passos, onde iniciaram as investigações, já ouviu seis investigados no caso e várias testemunhas. Sem mencionar nomes, ele afirma que antigos funcionários da empresa Seleta e também os ex-servidores municipais que já foram ouvidos até o momento e confirmaram a existência de fraude na pesagem do lixo recolhido que era pago pelo município. Apenas a ex-secretária alegou não saber de nada e Ataíde Vilela ainda não tinha sido ouvido.
“Ontem (quinta-feira) todos que foram ouvidos confirmaram a existência dessa fraude para adulterar o resultado das pesagens. Eles pesavam os caminhões e fraudavam para acima o peso. No final do mês dava uma pesagem totalmente irreal”, disse o representante do Ministério Público, explicando que as empresas Seleta Meio Ambiente e Filadélfia recebiam da prefeitura de acordo com o peso de lixo que era recolhido. Adulterando o peso, eles recebiam bem mais do que era devido e causavam prejuízos aos cofres públicos.
Paulo Frank lembrou ainda que esta é apenas uma das fraudes que está sendo investigada pelo Ministério Público. Outra suposta fraude que também vem sendo apurada é o favorecimento ilícito, com o conluio de empresas privadas e agentes públicos, para beneficiar as empresas Seleta e Filadélfia, que faziam a prestação de serviço de coleta de lixo na cidade de Passos durante a gestão do ex-prefeito Ataíde Vilela. 
Outros Crimes
Além disso, o promotor disse que também estão sendo levantados outros possíveis crimes, como lavagem de dinheiro, peculato, formação de quadrilha, entre outros. 
“Muito provavelmente, parte desse dinheiro que era pago a mais às empresas estariam retornando para alguém aqui na cidade como forma de propina. Vamos continuar ouvindo os envolvidos, prosseguir com as investigações e analisar o material que foi apreendido nesta quinta-feira durante os cumprimentos de mandados”, frisou o Paulo Frank, 
Ele confirmou que irá solicitar a prorrogação da prisão temporária dos investigados, que inicialmente é de apenas cinco dias, para que o Ministério Público tenha mais tempo para concluir as investigações. Ele acredita que mais novidades deverão surgir nos próximos dias e que, possivelmente, outros nomes possam aparecer na investigação.
“Caminhada”
O promotor lembrou também que a investigação da Operação Purgamentum é o espelho de um dos desdobramentos da Operação Caminhada, também feita pelo Ministério Público, durante o primeiro mandato de Ataíde Vilela. A forma de agir dos investigados seria bastante semelhante ao que chegou a ser apurado naquela época, porém daquela vez teria faltado um pequeno “elo” para conseguir provar a culpa dos envolvidos.
“Os colegas que trabalhavam naquela investigação chegaram muito perto de conseguir chegar aos culpados. A partir do momento que vimos a forma de agir bastante semelhante, percebemos que a linha investigatória que deveríamos seguir seria aquela”, concluiu.
Empresários 
transferidos
Também na tarde de ontem, o empresário Jorge Saquy Neto, 33 anos, um dos donos da empresa Seleta Meio Ambiente e o envolvido Fernando Gonçalves Henrique, também ligado diretamente à empresa, foram transferidos para o Presídio de Passos. Os dois haviam sido presos na manhã de quinta-feira, 9, em Ribeirão Preto (SP), durante o cumprimento dos mandados naquela cidade, oriundos da investigação que iniciou em Passos.
A dupla está entre os 15 presos no total e foram transferidos para Passos para serem ouvidos pela promotoria local.
Fonte da matéria: click folha

09 novembro 2017

MORADORES SOLICITAM MEDIDAS PARA INTERROMPER ACUMULO DE LIXO NA CALÇADA

A quantidade de resíduos domésticos deixados diariamente na calçada, em frente a um prédio residencial de três andares, localizado na Travessa Madre Maria Del Valle, tem provocado revolta nos moradores vizinhos. No imóvel, cuja fachada frontal está voltada para a Avenida Comendador Francisco Avelino Maia, no Bairro São Francisco, bem próximo da região central de Passos, há também um comércio onde se fabricam produtos alimentícios. “Acontece que a lixeira suspensa é bem pequena e cabe poucos recipientes onde são colocados os resíduos sólidos. Para piorar bastante a situação, moradores do prédio e até outras pessoas que residem em casas, deixam no passeio, principalmente enormes sacos plásticos cheios de lixo úmido, como restos de alimentos.

MORADORES SOLICITAM MEDIDAS PARA INTERROMPER ACUMULO  DE LIXO NA CALÇADA
MORADORES SOLICITAM MEDIDAS PARA INTERROMPER ACUMULO  DE LIXO NA CALÇADA

 Outro problema grave são as caixas de papelão colocadas para os catadores de materiais recicláveis, mas têm dia que eles não os recolhem, aí juntam com os recipientes e ficam tudo amontoados na calçada, obstruindo a passagem de pedestres. Sem deixar de revelar que os cachorros, a procura de comida, rasgam os sacos, empalham muita sujeira, ninguém recolhe as sobras e aquela catinga horrível exala longe. Peço os responsáveis pelo Departamento Municipal de Limpeza que visite o local e tome as devidas providências para estudar uma maneira do lixo não ficar amontoado”, discursou uma dona de casa.
FISCAIS NO LOCAL
 Através da Assessoria de Imprensa da prefeitura, “a reclamação já foi encaminhada para o Departamento Municipal de Limpeza Urbana que enviará seus fiscais até o local reclamado para solucionarem o problema”.
Fonte da matéria: click folha

OPERAÇÃO PURGAMENTUM PRENDE SUSPEITOS DE FRAUDES NA COLETA DE LIXO EM PASSOS

PASSOS - Mandados de prisão, de busca e apreensão e de condução coercitiva, quando a pessoa é levada para prestar depoimento, estão sendo cumpridos na manhã desta quinta-feira, em Ribeirão Preto e Passos pelo Ministério Público, em decorrência de uma investigação sobre fraudes em contratos públicos de coleta de lixo.

A Operação Purgamentum que acontece em Passos, começou com a investigação na 7ª Promotoria local. Ao todo, 15 mandados de prisão, 44 de busca e mais 11 de condução coercitiva foram expedidos pela Justiça de Passos e de Ribeirão, e estão sendo cumpridos com apoio das polícias Militar e Civil. Vários ex-integrantes da administração do ex-prefeito Ataíde Vilela estavam desde a madrugada de hoje na Delegacia de Polícia de Passos.


OPERAÇÃO PURGAMENTUM PRENDE SUSPEITOS DE FRAUDES NA COLETA DE LIXO EM PASSOS
OPERAÇÃO PURGAMENTUM PRENDE SUSPEITOS DE FRAUDES NA COLETA DE LIXO EM PASSOS

OPERAÇÃO PURGAMENTUM PRENDE SUSPEITOS DE FRAUDES NA COLETA DE LIXO EM PASSOS
OPERAÇÃO PURGAMENTUM PRENDE SUSPEITOS DE FRAUDES NA COLETA DE LIXO EM PASSOS


 A ação também tem apoio do Grupo Especial de Patrimônio Público, do Centro de Apoio Operacional de Patrimônio Público da Procuradoria-Geral de Justiça de Minas Gerais, da assessoria de Crime de Prefeitos da Procuradoria-Geral de Justiça de São Paulo e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco).

 Em nota, o Gaeco de Ribeirão Preto informou apenas que “foram detectadas suspeitas de irregularidades em serviços de coleta urbana” e que a investigação apura fraudes em licitação, crime de peculato, entre outros. Detalhes sobre o caso serão informados apenas em coletiva de imprensa às 11h. 09 de Novembro de 2017
Fonte da materia:click folha